propaganda

quarta-feira, 25 de abril de 2007

Electroma

Título Original: Daft Punk´s Electroma (2006)
Elenco: Peter Hurteau, Michael Reich e Athena Stamos
Direção: Thomas Bangalter & Guy-Manuel de Homem-Christo
Duração: 74 minutos


Nota: 4 (ótimo)

A dupla francesa Daft Punk formada por Thomas Bangalter e Guy-Manuel de Homem-Christo sempre estabeleceu uma relação bastante interessante da sua música com a imagem. Tudo começa pelo fato deles se apresentarem “fantasiados”, criando personagens. A primeira relação com o video veio com seu clipes. Grandes diretores trabalharam com eles e criaram verdadeiros “clássicos”. Spike Jonze (“Adaptação”) dirigiu “Da Funk” e Michel Gondry (“Brilho Eterno de uma mente sem lembranças”) dirigiu “Around the World”, ambos do 1º cd da banda.

O segundo cd, “Discovery”, foi ainda mais ousado. Eles se juntaram ao animador japonês Leiji Mastumoto, criador da série “Patrulha Estrelar”, para realizar uma animação sem diálogos com o cd como trilha dele chamado “Interstella 5555”. As primeiras partes foram lançadas como videoclipes separados, como “One More Time”, e foi um verdadeiro sucesso. A experiência de ver um desenho com a trilha das músicas do cd é bem interessante, uma nova maneira de se apreciar o trabalho do Daft Punk.

Não só nos videos que a imagem e a música se misturam no trabalho do Daft Punk. Em suas apresentações ao vivo essa mistura é ainda mais importante para criar mais do que uma simples apresentação musical, e sim uma grande experiência sensorial, misturando tanto a música quanto as imagens. O show no Tim Festival ano passado mostrou isso muito bem.

Aproveitando essa passagem pelo Brasil, a dupla aproveitou para divulgar o seu novo trabalho, dessa vez no cinema. O filme “Electroma” foi exibido no festival de São Paulo, mas infelizmente até agora não existe nenhuma previsão de lançamento por aqui, seja nos cinemas ou mesmo em dvd.

A inspiração para o filme é a temática do 3º cd chamado “Human after all”. Para não repetir a mesma fórmula do 'Interstella', a dupla ficou com o papel de escrever e dirigir o filme, enquanto atores iriam interpretar a dupla de personagens principais e músicas de outros artistas serviram como trilha sonora, passando por música clássica como Chopin e eletrônica de Brian Eno.

A história mostra dois robôs, vividos pelos atores Peter Hurteau e Michael Reich, em busca de se tornarem humanos, simples assim. O filme é bem experimental, não tem diálogos, a música se alterna com momentos de puro silêncio, o que com certeza já são razões suficientes para o “grande público” não querer assistir. A verdade é que para quem não acompanha o trabalho da dupla, com certeza o filme vai se mostrar pouco interessante.

O ritmo é bem lento. Tudo começa com os 2 rôbos, vestidos com as mesmas roupas usada pela dupla em seus shows, entrando em um carro no meio do deserto da California indo para alguma cidade. A câmera se move lentamente acompanhando o movimento do carro em vários ângulos diferentes, enquanto ele segue pela estrada. As imagens são muito bonitas, com uma fotografia que lembra muito filmes antigos da década de 70. Ao chegar na cidade encontram vários outros robôs iguais a eles, só que usando roupas de humanos comuns. Eles encontram o laboratório onde irão passar pelo processo de “transformação” em humanos. Ao sair de lá, irão enfrentar a fúria dos habitantes da cidade por terem ficado “diferentes” e a história segue para um final trágico e melancólico.

O tema “Deus Ex Machina”, ou traduzindo literalmente para 'Deus surgido da máquina' é a grande questão abordada no filme, sendo também o principal tema de todo o trabalho do Daft Punk, além de grandes clássicos da ficção científica. A expressão veio do teatro grego e serve bem para resumir a história do filme.

O objetivo aqui é mais uma vez criar uma experiência além do trabalho musical, e sempre tentando inovar ao se criar um novo elemento ou uma nova maneira de se apreciar a música e também mostrar toda a criatividade do trabalho do Daft Punk. O filme é uma viagem experimental e sensorial. E eles não param de surpreender. Vamos ver o que eles vão inventar para o seu próximo cd.

Infelizmente ainda não existe previsão de lançamento desse filme aqui no Brasil, nem mesmo em dvd. O jeito é aguardar novidades e quem sabe algum dia acabe chegando por aqui. Por enquanto a opção é baixar na Internet.
Postar um comentário