propaganda

sábado, 5 de julho de 2008

WALL-E

Título Original: Wall-E (2008)
Com: Ben Burtt, Elissa Knight, Jeff Garlin, Fred Willard, John Ratzenberger e Sigourney Weaver
Direção: Andrew Stanton
Roteiro: Andrew Stanton e Jim Capobianco
Duração: 103 minutos


Nota: 5 (excelente)

Se eu fosse fazer hoje uma lista dos melhores filmes de ficção científica de todos os tempos, com certeza a nova animação da Pixar “WALL-E” estaria presente. Ele ainda tem um diferencial em relação a boa parte de seus concorrentes, foi feito para todas as idades. Pode até parecer exagero, mas é verdade, podem acreditar.

Depois de “Ratatouille” eu achava que a Pixar não seria capaz de fazer algo melhor, mas eles conseguiram. “WALL-E” talvez seja até a melhor animação do estúdio. É impressionante a criatividade e a capacidade de criar novas e ótimas histórias.

“WALL-E” é uma mistura de ficção científica, com comédia romântica e com filmes mudos como os de Charlie Chapman. A Pixar apostou alto nessa animação em que o personagem principal é um robozinho que não fala e que em sua primeira parte praticamente não tem diálogos. Mas o carisma do personagem é impressionante e também o poder de uma ótima história.

Apesar de não ter muitos diálogos, o som é muito importante para a trama. Para isso foi convocado um cara chamado Bem Burtt, responsável pela criação de sons de filmes como “Star Wars”. O cuidado com a parte técnica da produção do filme foi tanta que chegaram até a contratar o diretor de fotografia Roger Deakins (“O Assassinato de Jesse James” e “Onde os Fracos Não Têm Vez”) como consultor visual.

700 anos no futuro, WALL-E é um robozinho que está abandonado sozinho no planeta Terra continuando sua função, juntar o lixo. Passou-se tanto tempo que ele acabou ganhando certa personalidade e começa a colecionar outros objetos. Seu único amigo é uma barata. A coisa muda de figura quando uma nave surge do espaço trazendo a robô exploradora Eva, que irá despertar a paixão de WALL-E.

Geralmente os filmes de ficção nos mostram uma visão apocalíptica do futuro onde não existe esperança. Aqui temos uma visão mais otimista em que existe fé para o futuro da humanidade. Com muitas referências e cenas memoráveis, “WALL-E” é mais uma prova da qualidade do trabalho da Pixar. Sem dúvidas um dos melhores filmes desse ano.
Postar um comentário