propaganda

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

O Leitor

Título Original: The Reader (EUA / Alemanha, 2008)
Com: Kate Winslet, Ralph Fiennes, David Kross e Lena Olin
Direção: Stephen Daldry
Roteiro: David Hare
Duração: 124 minutos


Nota: 2 (regular)

Seguindo a mesma linha dos recentes “O Menino do Pijama Listrado” e “Um homem bom”, o filme “O Leitor” também tem como pano de fundo para a sua história o nazismo. Aqui é o pós-guerra e como a Alemanha tratou e julgou aqueles que contribuíram para os horrores do holocausto.

O drama de Stephen Daldry (“As Horas”) é adaptado do romance de Bernhard Schlink e conseguiu a façanha de ser indicado ao Oscar de melhor filme de 2009. Ao ir assistir o filme esperava algo realmente bom para justificar a indicação, já que muita coisa boa como “Batman – O Cavaleiro das Trevas” tinha ficado de fora. O resultado é um drama bem convencional, com atuações corretas e uma boa parte técnica, mas que não mostra nada que justifique sua indicação.

Os créditos pela façanha vão para Harvey Weinstein, homem que era dono do estúdio Miramax e tinha conseguido outro grande feito ao fazer com que “Shakespeare Apaixonado” levasse o Oscar de melhor filme. Além do tema do nazismo, que sempre agrada a academia, dois dos produtores do filme (Anthony Minghella e Sydney Pollack) haviam falecido ano passado e isso contou mais pontos a favor do filme.

A história começa com o romance entre o jovem de 15 anos Michael Berg (David Kross) e Hanna (Kate Winslet), uma mulher mais velha. A única coisa que ela pede é que ele leia um livro pra ela, daí o título. Ela desaparece misteriosamente e anos mais tarde ele a reencontra num julgamento. Ele virou um estudante de direito e ela sendo julgada por ter matado 300 judias.

Nesse momento a história de romance vira um dramalhão de verdade. É então que os problemas do filme começam. Os personagens ficam bem perdidos e não são explorados muito bem. Sem falar que faltam também alguns aspectos e detalhes da trama que o deixam em alguns momentos meio sem sentido e sem explicação coerente.

O resultado final, como foi dito anteriormente, é um drama bem convencional e abaixo da média. As atuações são boas, mas nada que mereça grande destaque, nem mesmo o desempenho de Kate Winslet. Ela está bem melhor em “Foi apenas um sonho”, que foi ignorado. Quem decepciona também é Ralph Fiennes, como o Michael mais velho.

Fica a dica para o próximo Batman, explorar também o tema do nazismo. Quem sabe assim não ganha uma indicação a melhor filme. E vamos ver se o novo filme de Tarantino, “Inglourious Basterds”, não consegue então ser indicado no próximo ano.

5 Indicações ao Oscar 2009 – 1 prêmio:
Atriz: Kate Winslet
Fotografia: Chris Menges e Roger Deakins
Diretor: Stephen Daldry
Filme: Anthony Minghella, Sydney Pollack, Donna Gigliotti e Redmond Morris (produtores)
Roteiro Adaptado: David Hare

Indicados ao Oscar 2009 já comentados aqui no blog
Postar um comentário