propaganda

segunda-feira, 5 de março de 2012

W. E. - O Romance do Século

Título Original: W. E. (ING, 2011)
Com: James D'Arcy, James Fox, Andrea Riseborough, Abbie Cornish, Natalie Dormer, Oscar Isaac, Richard Coyle, Laurence Fox e Haluk Bilginer
Roteiro: Madonna e Alek Keshishian
Direção: Madonna
Duração: 119 minutos

Nota: 2 (regular)

Madonna é uma artista que não se contentou apenas com a música. Ela e uma das cantoras mais conhecidas da música pop desde os anos 80 e continua na ativa até hoje. Mas ela sempre quis mais. Já foi atriz, escritora e agora resolveu virar diretora e também roteirista. Provavelmente esse desejo surgiu por influência do seu ex-marido, o diretor Guy Ritchie (Sherlock Holmes). “W. E. - O Romance do Século” é seu primeiro trabalho como diretora.

A história do filme é até interessante. O filme alterna entre a vida de 2 mulheres. Uma é a famosa Wallis Simpson, uma americana plebéia que teve um relacionamento com o Rei Eduardo VII da Inglaterra. Romance que fez ele renunciar a coroa para poder ficar com sua amada *. Nos dias atuais temos Wally Winthrop, uma mulher que é obcecada pela história de Wallis e que tem problemas com o seu próprio casamento.

O filme tenta fazer um paralelo entre a história das 2 mulheres. A da atualidade tenta encontrar na história da personalidade uma resposta para seus problemas. A história fica alternando entre as personagens e contando a história de cada uma.

A premissa é interessante, mas infelizmente o potencial é desperdiçado graças a trama da atualidade. A personagem de Wally dos dias atuais é muito fraca e não tem a mesma força da história de Wallis. Isso prejudica bastante o filme, que poderia até ter tido um resultado positivo.

Talvez se Madonna tivesse concentrado sua história em Wallis sem tentar fazer um paralelo com uma personagem da atualidade, o filme poderia ter sido mais interessante. Poderia acabar sendo apenas mais um filme de época com cara de filme para televisão, mas mesmo assim teria um resultado mais positivo.

Madonna correu um bom risco ao assumir a direção desse filme. Quem sabe num próximo projeto ela consiga um resultado mais interessante. Enquanto isso vamos aguardar o lançamento do seu novo disco ainda esse mês. Esse sim deve ser bom, afinal de contas na música ela sempre acerta.
* Para quem não lembra um pouco dessa história foi mostrada recentemente no filme “O discurso do rei”. Mas nele o foco é a história de George IV (Colin Firth), o irmão de Eduardo VII que assume o trono após a renúncia do irmão.
Postar um comentário