propaganda

terça-feira, 24 de abril de 2012

Jogos Vorazes

Título Original: Hunger Games (EUA , 2012)
Com: Jennifer Lawrence, Liam Hemsworth, Josh Hutcherson, Wes Bentley, Woody Harrelson, Elizabeth Banks, Donald Sutherland, Stanley Tucci e Lenny Kravitz
Direção: Gary Ross
Roteiro: Billy Ray, Gary Ross e Suzanne Collins
Duração: 142 minutos


Nota: 3 (bom)

O filme “Jogos Vorazes” é a mais nova franquia feita para o público adolescente baseada na trilogia escrita por Suzanne Collins. A idéia da história é interessante, apesar de não ter muita coisa assim tão original. O elenco foi bem escolhido, a começar pela protagonista.

Jennifer Lawrence que recentemente foi indicada ao Oscar pelo filme “Invernoda Alma” e seguiu rumo ao estrelado em outra franquia: “X-Men - Primeira Classe”. Agora foi sua grande chance como protagonista e ela está muito bem mais uma vez.

O elenco também conta com nomes importantes como Donald Sutherland, Stanley Tucci e Woody Harrelson que entregam boas atuações. Elizabeth Banks também está bem e quase irreconhecível graças a maquiagem e ao figurino. Outro destaque, dessa vez negativo, é a presença do cantor Lenny Kravitz. Ele não chega a comprometer, mas deixa bastante a desejar.

Na trama somos apresentados a um mundo futurista que foi dividido em 12 distritos e uma capital após uma guerra civil. Para “comemorar” o fim da guerra, todo ano são promovidos os Jogos Vorazes. Cada distrito sorteia 2 representantes (1 masculino e 1 feminino) entre 12 e 18 anos. Os jogos são um reality show transmitidos ao vivo pela televisão onde os 24 concorrentes se enfrentam até a morte numa arena controlada pelo governo onde poderá haver apenas 1 sobrevivente.

Então somos apresentados a nossa “heroína” Katniss Everdeen (Lawrence) que acaba se voluntariando a participar dos jogos no lugar de sua irmã que havia sido sorteada. Ela e Peeta Mellark (Josh Hutcherson de “Minhas mães e meu pai”) serão os representantes do Distrito 12, que é o mais pobre de todos.

A história possui como pano de fundo uma crítica a cultura do culto da sociedade aos reality shows, violência, controle do governo e outras coisas. Tudo é muito sutil, mas é positivo. Ainda assim acho que talvez a trama pudesse ter um teor crítico maior. Mas como o objetivo é agradar um público mais abrangente a começar pelos jovens, a coisa fica meio de lado.

Outra coisa que foi atenuada foi a violência, afinal de contas se trata de um jogo onde apenas 1 pessoa irá sobreviver. Mais uma vez a questão do alance do público falou mais alto, ainda mais para não se criar polêmica em clima da glamorização da violência. Mesmo assim o filme funciona bem nas cenas de aventura, misturando bem com toques de drama, romance e um pouco de humor.

Outra elementos que chamam a atenção são a direção de arte, figurinos e maquiagem. Na tentativa de criar um novo mundo talvez tenha exagerado um pouco na ambientação que acaba muitas vezes chamando a atenção demais, tirando o foco da história sem necessidade.
No final das contas o resultado é positivo, apesar de alguns problemas (alguns já citados). Eu não consigo enxergar uma trama para 3 filmes, muito menos para 3 livros. Mas mesmo assim a história do primeiro filme termina num ponto que eu não consigo imaginar para onde a trama possa caminhar, o que é positivo.
Postar um comentário