propaganda

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Ender's Game - O Jogo do Exterminador

Título Original: Ender's Game (EUA , 2013)
Com: Asa Butterfield, Harrison Ford, Viola Davis, Hailee Steinfeld, Abigail Breslin, Ben Kingsley, Suraj Partha, Moises Arias e Khylin Rhambo
Direção e Roteiro: Gavin Hood
Duração: 114 minutos

Nota: 3 (bom)

Ender's Game - O Jogo do Exterminador” é um bom filme de ficção científica, mas parece ser apenas mais um filme genérico do filme nos temas abordados. Sua aposta é no público adolescente por ter um jovem protagonista interpretado por Asa Butterfield (A invenção de Hugo Cabret). A história é baseada no livro de 1985 escrito por Orson Scott Card. Pensando na época em que foi escrito a trama era bem interessante, mas talvez tenha demorado demais para adaptar ao cinema.


Na história estamos em um futuro, mas precisamente o ano 2164, em um tempo que a Terra foi invadida por alienígenas que se parecem com insetos. Pensem em quantos outros filmes temos algo parecido. Continuando, a esperança dos humanos nessa guerra é começar o treinamento militar com crianças superdotadas para que elas cresçam com valores diferentes de como lidar com um conflito militar e assim conseguir vencer a guerra.

Uma das esperanças é o garoto Ender (Butterfield) que é escolhido pelo Coronel Graff (Harrison Ford - Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal) por enxergar um diferencial nele apesar das desconfianças da Major Gwen Anderson (Viola Davis - Histórias Cruzadas) sobre o seu comportamento impulsivo. Iremos então acompanhar todo o treinamento do menino dentro do ambiente militar. O objetivo é que ele possa liderar uma equipe que controle naves que irão lutar contra os alienígenas, algo parecido com um jogo de videogame ou os atuais drones não tripulados controlados à distância.

O filme aborda temas bem interessantes como os limites entre certo e errado numa guerra na criação de novos valores sobre o certo e o errado no treinamento dos jovens. Infelizmente o filme acaba ficando bem superficial nessas temas. A maior parte da história fica centrada no treinamento e ainda assim o desenvolvimento do personagem principal ainda deixa um pouco a desejar.

A grande surpresa mesmo fica para a parte final do filme, mas aí já não resta mais tempo para explorar muita coisa. E ainda assim o final também é mais ou menos por não lidar tão bem com o impacto dos acontecimentos. A trama também fica um pouco em aberto já que o livro na verdade é uma série, então o autor já previu uma continuação. A julgar pelo desempenho nos cinemas não sei se o filme ganhará uma continuação, vamos aguardar.
No mais o filme funciona de maneira correta, apesar do potencial da história que poderia ter rendido algo bem melhor. O elenco de coadjuvantes é muito bom, mas os jovens protagonistas entregam atuações apenas medianas, principalmente Asa Butterfield que não é muito carismático. Até mesmo Hailee Steinfeld que se destacou em “Bravura Indômita” está apenas razoável enquanto a participação de Abigail Breslin (Zumbilândia) é bem pequena e poderia ter tido uma importância maior.
Postar um comentário