propaganda

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Ilha dos Cachorros (Isle of Dogs)

O diretor Wes Anderson tem um estilo bem peculiar de dirigir e ao longo de sua filmografia criou uma série de filmes onde alguns elementos em comum são fáceis de serem identificados. Ainda assim, o cineasta é capaz de investir sempre em trabalho diferentes e criativos. Anderson retorna ao mundo das animações em “Ilha dos Cachorros”, que pode ser definido como um desenho infantil feito para adultos.

O que mais chama a atenção na animação é o seu visual. A técnica utilizada é o stop-motion, então esse lado artesanal já proporciona por si só uma imagem peculiar e diferente. A riqueza de detalhes dos personagens é muito boa, e os cenários são bem interessantes.

Outro detalhe é a mistura da cultura ocidental com a oriental, mais precisamente com a japonesa. A história se passa no Japão, então os personagens humanos são dublados por atores do país e falando sua língua natal. Já os cachorros são dublados por atores de Hollywood, criando uma forma interessante de diferenciar animais e homens, sendo que eles não se comunicam entre si.

A história é uma distopia que se passa no Japão e foi encontrado um vírus em cachorros que estavam sendo transmitidos para os humanos. Isso fez com que os animais fossem expulsos do país e colocados em uma ilha. Contudo, um garoto resolve ir no local em busca do seu cão e ao chegar lá conta com a ajuda de uma matilha “liderada” por Chief (Bryan Cranston).

O roteiro, escrito pelo próprio Anderson, faz uma interessante distopia animal e algumas críticas sociais sobre grande empresas e sua influência na sociedade, mas fala principalmente sobre a importância da amizade entre os cachorros e seus donos. Na ilha os animais tentam seguir suas vidas, alguns se organizam em grupos, mas a maioria sente falta da vida que tinha antes. A exceção é Chief, mas ao ajudar o garoto ele percebe que pode estar errado.
O elenco de vozes da animação é incrível e basta olhar os nomes envolvidos para ficar com vontade de assistí-la. Bryan Cranston está ótimo como Chief, mas temos também Scarlett Johansson roubando a cena com sua bela voz, como já tinha feito em “Ela”.

A trilha sonora de Alexandre Desplat também é fabulosa em pegar os elementos da cultura japonesa e criar temas interessantes, sem parecer clichês, criando uma trilha que se encaixa muito bem na narrativa.

Wes Anderson mostra mais uma vez que é um ótimo diretor. Sua nova animação é superior ao trabalho que ele fez em “O Fantástico Sr. Raposo”. “Ilha dos Cachorros” é um filme que tem a marca do cineasta, mas que ao mesmo tempo mostra sua versatilidade e criatividade em explorar novos temas e formatos, sem perder sua essência.

Classificação:

Título Original: Isle of Dogs (EUA, Alemanha, 2018)
Com: Bryan Cranston, Edward Norton, Bill Murray, Jeff Goldblum, Bob Balaban, Kunichi Nomura, Ken Watanabe, Greta Gerwig, Frances McDormand, Fisher Stevens, Nijiro Murakami, Harvey Keitel, Koyu Rankin, Liev Schreiber, Scarlett Johansson, Tilda Swinton, Akira Ito, Akira Takayama, F. Murray Abraham (vozes originais em inglês) e Courtney B. Vance (narrador)
Direção: Wes Anderson
Roteiro: Wes Anderson (roteiro), história de Wes Anderson, Roman Coppola, Jason Schwartzman e Kunichi Nomura
Duração: 101 minutos
Postar um comentário