propaganda

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

A Última Noite

Título Original: A Prairie Home Companion (2006)
Elenco: Garrison Keillor, John C. Reilly, Kevin Kline, Lily Tomlin, Lindsay Lohan, L.Q. Jones, Marylouise Burke, Maya Rudolph, Meryl Streep, Sue Scott, Tim Russell, Tommy Lee Jones, Virginia Madsen e Woody Harrelson
Diretor: Robert Altman
Duração: 105 minutos


O filme “A última noite” surgiu da parceria entre o diretor Robert Altman e o apresentador de rádio Garrison Keillor, que é bastante conhecido lá nos EUA por está no ar há 31 anos. A idéia era mostrar os bastidores da última noite da apresentação do programa de rádio A Prairie Home Companion (nome original do filme, mas que acabou sendo traduzido por aqui simplesmente para “A última noite”, confundindo com o filme de Spyke Lee chamado “25th hour” que também ganhou essa tradução) devido a venda da rádio para uma grande empresa, que irá transformar o teatro onde o programa é apresentado em um estacionamento.

O programa de rádio é do tipo em que só tem música ao vivo, incluindo os “jingles” de propaganda, algo totalmente fora do comum para os dias de hoje. É justamente nesse clima de nostalgia que o filme é baseado. Nele iremos conhecer vários personagens passando por cantores e o pessoal da produção do show, alternando entre o show e os bastidores.

A parte musical é comandada pelo próprio Garrison Keillor vivendo o apresentador do programa. O elenco foi escolhido com atores que pudessem cantar e improvisar canções ao vivo, então todos cantam de verdade sem dublagem. Só essa parte já vale a pena conferir, para ver atores como Meryl Streep, Woody Harrelson, John C. Reilly e Lindsay Lohan soltando a voz no melhor da música country americana.

Enquanto isso também acompanhamos os bastidores do programa. Nem todos sabem que essa é a última apresentação. Os que sabem ficam divagando sobre o que irão fazer com o fim do show, lembram histórias antigas do início da carreira com bastante nostalgia. Para completar o apresentador não quer passar para o público que essa é a última noite, para não ficar o clima de despedida. Para ele toda noite é como se fosse a última. No rádio não da para saber que o pessoal está ficando velho como na televisão.

O clima de nostalgia e saudosismo ficou ainda maior com a morte do diretor Robert Altman recentemente. Esse acabou sendo seu último trabalho. No Oscar desse ano ele recebeu um prêmio pelo conjunto da obra, depois de anos sendo ignorado pela academia. Ao receber o prêmio comentou sobre seu problema de saúde, dizendo que tinha feito um transplante de coração e recebeu um de uma mulher de 40 anos, então fazendo as contas ainda teria muitos anos de vida pela frente. Infelizmente não foi isso que aconteceu. Fica na história como um dos grandes diretores americanos de filmes como “Short-cuts – cenas da vida”, “M*A*S*H”, “O Jogador”, “Prêt-à-Porter” e “Assassinato em Gosford Park”, que influenciou gente como Paul Haggis (Crash – No limite) e Paul Thomas Anderson (“Magnólia”). Vale a pena conferir!

Fica então essa sua última homenagem ao mundo dos programas de rádio, numa história com um certo bom humor num clima de nostalgia e também um pouco de melancolia. Afinal de contas já não se fazem mais programas de rádio como os de antigamente.
Postar um comentário