propaganda

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Bastardos Inglórios

Título Original: Inglourious Basterds (EUA, 2009)
Direção e Roteiro: Quentin Tarantino
Com: Brad Pitt, Mélanie Laurent, Christoph Waltz, Eli Roth, Michael Fassbender, Diane Kruger, Daniel Brühl, Til Schweiger, Gedeon Burkhard, Jacky Ido, B.J. Novak, Omar Doom, August Diehl e Denis Menochet
Duração: 153 minutos


Nota: 5 (excelente)

O tema da segunda guerra e nazismo esteve bastante presente esse anos nos cinemas em filmes como “O Menino do Pijama Listrado”, “Um Ato de Liberdade” e até Spike Lee mostrou a versão dos negros em “Milagre em Sta. Anna”. Alias, esse tema parece não sair de moda e sempre pode-se mostrar um novo aspecto. Temos então agora uma versão mais particular sob a visão do diretor Quentin Tarantino com seu “Bastardos Inglórios”.

Tarantino faz uma mistura de vários estilos de cinema e criou o seu estilo próprio. Esse filme é mais uma prova do seu talento. Obviamente não é o seu melhor filme, é melhor do que “À prova de morte”, mas sem dúvidas é um dos melhores do ano. Ele é um dos diretores mais criativos e inteligentes do cinema americano atual e continua escrevendo seus próprios roteiros.

Já se especulava sobre esse filme de guerra de Tarantino há alguns anos. Durante o processo criativo, enquanto escrevia o roteiro livremente inspirado num filme italiano de mesmo nome, ele pensou até em fazer um seriado de TV. Durante o festival de Cannes do ano passado ele lançou um desafio, disse que na edição seguinte estaria com seu filme pronto para ser exibido no festival. E ele cumpriu o que prometeu.

A história é dividida em capítulos e começa na França quando o coronel Hans Landa (Christoph Waltz, grande destaque do filme) está à procura de judeus e acaba matando a família de Shosanna (Mélanie Laurent), mas ela consegue fugir. Depois iremos conhecer o grupo do título, os bastardos inglórios, liderados por Aldo Rayne (Brad Pitt) que tem como objetivo matar o maior número de nazistas possível. Todos eles acabam se encontrando novamente num cinema, controlado por Shosanna, durante a estréia de filme nazista.

A melhor maneira de descrever o filme com certeza seria como “filme de guerra de Tarantino”. Todo o seu estilo está presente como nos sensacionais diálogos, referências pop, bom humor, trilha sonora caprichada, violência, ótimo elenco, etc.


Felizmente o filme não demorou muito para estrear aqui no Brasil, apesar do diretor ter dado bolo mais uma vez no festival do Rio. Ano passado ele viria divulgar “À prova de morte”. Falando nesse filme, vale lembrar que até hoje não foi lançado por aqui. Supostamente ia ser lançado agora em Novembro, mas não consta mais na lista de lançamentos no Filme B Aguardem notícias sobre isso por aqui.
Postar um comentário