propaganda

domingo, 19 de junho de 2011

Kung Fu Panda 2

Título Original: Kung Fu Panda 2 (EUA , 2011)
Com: Jack Black, Dustin Hoffman, Angelina Jolie, Lucy Liu, David Cross, Jackie Chan, Seth Rogen, Gary Oldman, James Hong, Michelle Yeoh, Danny McBride, Jean-Claude Van Damme e Dennis Haysbert
Direção: Jennifer Yuh
Roteiro: Jonathan Aibel e Glenn Berger
Duração: 91 minutos

Nota: 4 (ótimo)

É sempre complicado a continuação de um filme conseguir superar o primeiro, mas quando se consegue pelo menos ficar no mesmo nível de qualidade já é bastante válido. Esse é o caso de “Kung Fu Panda 2”. A Dreamworks aposta em uma nova franquia, já que Shrek está bastante saturado.

No primeiro acompanhamos a trajetória do panda Po (Jack Black) em se tornar o dragão guerreiro. Agora é a vez de ele enfrentar uma nova ameaça e tentar evitar que o kung fu seja destruído.

A história não é o grande forte do filme, mas o roteiro é bom e consegue construir uma boa narrativa. Se o primeiro mostrou o treinamento de Po, agora é a vez de mostrá-lo em ação junto com os Cinco Furiosos. O filme aposta mais nas cenas de ação, mas sem deixar o bom humor e algumas doses de drama de lado.

Além disso, o visual é o que mais chama a atenção. É incrível ver o avanço tecnológico nas técnicas de animação em relação ao filme anterior. Tem algumas partes que usam outras técnicas de animação que são bem interessantes. E como o visual é um dos atrativos, vale a pena conferir em 3D.

Tudo isso somado a um incrível elenco de dubladores faz com que o resultado final seja bem positivo. Jack Black continua muito bem como Po, ainda mais que os trejeitos do personagem ficaram muito parecidos com o do ator. A trigresa dublada por Angelina Jolia ganha mais destaque e o vilão Lorde Shen dublado por Gary Oldman também está muito bem.

A Dreamorks mostra que está consolidada no mundo das animações e está na luta para conseguir chegar no mesmo nível da Pixar. Mas para isso não basta apenas investir no visual, é preciso investir também no roteiro e em histórias novas e criativas. Aqui ela já mostra um lado mais forte na emoção e no drama, mas ainda tem que correr muito para alcançar as tramas da Pixar. Ela até investiu na parte criativa com a participação do diretor mexicano Guillermo del Toro ("O Labirinto do Fauno") como consultor criativo, o que já é um grande passo.
Postar um comentário