propaganda

terça-feira, 6 de novembro de 2012

As Vantagens de Ser Invisível

Título Original: The Perks of Being a Wallflower (EUA , 2012)
Com: Logan Lerman, Emma Watson, Ezra Miller, Nina Dobrev, Paul Rudd, Mae Whitman, Melanie Lynskey, Melanie Lynskey, Johnny Simmons, Zane Holtz, Reece Thompson, Erin Wilhelmi e Joan Cusack
Direção e Roteiro: Stephen Chbosky
Duração: 103 minutos

Nota: 5 (excelente)

Uma das coisas que me chamou a atenção no filme “As Vantagens de Ser Invisível” foi o fato do próprio autor do livro em que o filme é baseado ter escrito o roteiro adaptado e também dirigido. Não lembro de ter visto isso antes. Stephen Chbosky além de escritor também tem experiência na televisão no seriado “Jericho” e no cinema esse é seu 2º filme.

A história se passa no início dos anos 90 e mostra o amadurecimento do adolescente Charlie (Logan Lerman de “Os Três mosqueteiros”) aos 15 anos quando ele entra no colegial enquanto ainda se recupera de uma depressão e da morte de um grande amigo. Ele irá “sofrer” como calouro no colégio enquanto tenta se socializar. No início acaba apenas tendo o professor de literatura (vivido por Paul Rudd de “Eu te amo, cara”). Mas depois ele acaba conhecendo Patrick ( Ezra Miller de “Precisamos falar sobre o Kevin”) e Sam (Emma Watson, a Hermione da série “Harry Potter”) e a situação muda de figura.

Conseguir retratar o universo adolescente sempre é uma tarefa complicada. Mas Chbosky conseguiu captar muito bem uma geração ao contar uma história que mistura drama e comédia ao tocar em temas importantes e complicados como amor, drogas, sexualidade e amadurecimento. Quem melhor do que ele mesmo para transpor o livro para a tela do cinema. 

Isso com certeza ajudou bastante na construção dos personagens. Todos tem sua importância e tempo na tela. A primeira aparição de Patrick e Sam são muito bons. Chbosky não usa grandes recursos cinematográficos, nisso ele apenas faz o básico e necessário para contar sua história. O grande trunfo mesmo são a história, os personagens e principalmente as atuações.

O filme não funcionaria se o elenco não conseguisse mostrar na tela todo o carisma e química entre eles. E nisso o trio Lerman, Watson e Miller está brilhante. Todos surpreendem com ótimas atuações em papéis que exigem bastante ao navegar entre o drama e a comédia sem nunca exagerar em nenhum deles encontrando o tom certo.

Tudo isso somado a referências pop da época como músicas, com destaque para “Heroes” de David Bowie que tem papel importante na história, e filmes como o musical “Rocky Horror Picture Show”. Ainda mais que na época em que a história se passa a questão da descoberta de músicas e filmes era diferente, não tinha Internet como fonte de informação.
O resultado é um filme que mostra uma incrível e bela história sobre amizade, adolescência, descobertas, amor, entre outros temas, contada de maneira excelente que consegue emocionar e até render algumas reflexões. 

Gostei tanto que até comprei o livro, assim que eu ler comento por aqui.
Postar um comentário