propaganda

domingo, 28 de agosto de 2011

Super 8

Título Original: Super 8 (EUA , 2011)
Com: Joel Courtney, Elle Fanning, Kyle Chandler, Riley Griffiths, Ryan Lee, Joel McKinnon Miller, Noah Emmerich, Glynn Turman, David Gallagher e Ron Eldard
Direção e Roteiro: J.J. Abrams
Duração: 112 minutos

Nota: 5 (excelente)

J.J. Abrams já mostrou todo o seu talento na televisão ao criar programas como “Alias” e “Lost”. Aos poucos ele também está construindo uma ótima carreira no cinema. Depois de comandar “Missão Impossível 3” e revitalizar a franquia “Star Trek”, em “Super 8” ele apresenta uma história original e mostra toda sua inspiração e influência do produtor do filme, ninguém menos que Steven Spielberg.

A melhor palavra para definir o filme é nostalgia, aqui utilizada de maneira bastante acertada. A começar pelo próprio super 8, formato bastante popular utilizado nas filmadoras do final dos anos 70. Além disso, a história de passa em 1979. Nela iremos acompanhar um grupo de garotos que está filmando um curta em super 8 e acaba presenciando um incrível acidente de trem. A partir desse evento a rotina da cidadezinha que eles moram se transforma com a presença do exercito e muito mistério em relação as causas do acidente.

Talvez desde “Os Goonies”, que também tinha Spielberg como produtor além de autor da história, um filme não conseguia reunir um elenco infanto-juvenil de maneira tão boa. O grupo de “Super 8” é quase tão carismático e marcante quanto do clássico dos anos 80. E existe também um tom de aventura parecido, apesar de que aqui o tom seja um pouco mais sério em relação a sua “ameaça”. Uma boa definição seria uma mistura de Goonies com “Cloverfield”, filme que tem produção e Abrams e que explora bastante o mistério em relação a sua grande “ameaça”.

Junte um ótimo elenco, bastante carismático e competente, com uma ótima história e o resultado é um grande filme. Mesmo contando com excelentes efeitos visuais, não são eles que chamam mais a atenção, servem apenas como elemento para complementar a narrativa. A nostalgia misturada com o clima de mistério criam um tom bem interessante na história.

Abrams comprova mais uma vez seu talento ao realizar um excelente filme que mostra toda a sua paixão e influência do mundo do cinema ao criar um estilo próprio que não deixa nada a desejar ao seu “tutor” Spielberg.
Postar um comentário