propaganda

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Roubo nas Alturas

Título Original: Tower Heist (EUA , 2011)
Com: Ben Stiller, Eddie Murphy, Casey Affleck, Alan Alda, Matthew Broderick, Téa Leoni, Michael Pena e Gabourey Sidibe
Direção: Brett Ratner
Roteiro: Ted Griffin e Jeff Nathanson
Duração: 104 minutos

Nota: 4 (ótimo)

É bom voltar a ver Eddie Murphy fazer uma boa comédia. Nos últimos anos seus filmes têm sido voltados mais para o público “família” e de gosto bastante duvidosos. Na verdade ele não é o protagonista de “Roubo nas Alturas”, mas sempre que aparece rouba a cena.

Também é bom ver o diretor Brett Ratner voltar a fazer um filme bacana após ter estragado as franquia “A Hora do Rush”, que ele mesmo criou, e “X-men”, coincidentemente ambas no filme 3.

O protagonista é Ben Stiller, mas os coadjuvantes também chamam a atenção. Além do já citado Murphy, temos Matthew Broderick, Téa Leoni e Casey Affleck, e todos estão muito bem.

A história é interessante ao misturar diversão com um tema sério e atual. Stiller vive Josh Kovaks, um gerente de um prédio luxuoso de Nova York que trata muito bem os moradores. Um deles é milionário (Alan Alda) que é preso por fraude. O problema é que ele investiu e perdeu o dinheiro da pensão dos funcionários do prédio a pedido de Kovaks, que resolve roubá-lo para conseguir a grana de volta.

O problema é que ele não entende nada de roubos e a sua “equipe” também é amadora no ramo. Então eles recorrem a ajuda de um “profissional”, é aí que entra em cena Slide (Murphy).

O filme é uma espécie de paródia de filmes de roubo estilo “11 homens e 1 segredo”, mas o assalto é feito por amadores que tem um motivo mais “nobre”, tipo um Robin Hood moderno.

A trama utiliza bem os clichês do gênero e consegue criar personagens e situações interessantes com um pouco de crítica a crise econômica atual, mas apesar do tema sério o real objetivo do filme é divertir e nesse sentido ele cumpre muito bem o seu papel.

No final das contas o filme consegue ser bem acima da média e apesar de não ser muito criativo, consegue utilizar bem os clichês e tirar uma boa performance dos atores ao reunir um ótimo elenco. Espero que a partir de agora Murphy continue nesse caminho que o consagrou nos anos 80.
Postar um comentário